A Sogra Boazuda

Por Dejovu em

Faltavam poucos dias para o casamento de Adolfo.

A mãe da moça, uma quarentona escultural, estilo Vera Bitcher, lhe disse, no sofá da sala:

— Adolfo, quero que você saiba que eu sempre te achei um homem atraente e… bem… estou sem graça de falar…

— Pode falar, dona Sônia! Fique à vontade!

— Bom, Adolfo, antes que você casasse, eu gostaria de fazer sexo com você!

-x-x-x-x-x-x-

Adolfo fica boquiaberto e ela prossegue:

— Eu vou lá pro quarto! Se você quiser ir embora, já sabe onde é a porta… Se quiser me ter é só ir lá pro quarto… Estarei te esperando… gostoso!

Adolfo espera a sogra ir para o quarto, pensa por meio segundo e decide o caminho que vai tomar.

Corre para a porta e encontra, apoiado no seu carro, o seu sogro, marido da dona Sônia, sorridente.

— Parabéns, Adolfo! — disse ele — Queríamos saber se você era um homem fiel, honesto e leal e você passou pelo teste!

-x-x-x-x-x-x-

Então a sogra saiu da casa e também o cumprimentou.

Moral da história: É bem melhor carregar as camisinhas no carro do que no bolso.

Autor: Autor Desconhecido

Categorias: Sogra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.