Experiências Secretas nos EUA Finalment…

Por Dejovu em

Experiências Secretas nos EUA -Finalmente provas cientificas da existência GET!
Nos EUA – Estados Unidos do Alentejo – foi finalmente aberto o Dossier Alien-Viela no qual se fazem revelações explosivas sobre experiências levadas a cabo entre o ano 2 e o ano 5 DC (Durante Cavaco).
Com a cobertura das obras de uma barragem (aliás nunca terminadas) foi criado um enorme complexo subterrâneo para estudo de uma nave GET. Essa nave terá chocado casualmente com um CORSAIR em manobras na base de Beja.
Dois GETs (Gambuzinos ExtraTerrestres) foram recuperados com vida e tratados no Hospital de Évora. Os referidos espécimes exibem actualmente 3 caudas, 7 asas, 2 bicos, 1 perna, 4 cabeças, 22 dentes e 2,5 olhos mas não se sabe quanto desta anatomia é o resultado de cuidados médicos menos próprios.
A descoberta vem revolucionar todos os conhecimentos científicos. Apesar de inúmeras testemunhas já os terem observado, terem sido raptadas por eles, levadas ate Júpiter, ou mesmo terem sido induzidas a relações sexuais com GETs, só agora é possível provar cientificamente a sua existência.
Por todo o mundo as atenções das organizações dedicadas ao estudo do fenómeno estão a convergir para o Alentejo.
O presidente da conhecida organização OGEPN (Ovnis, Gambuzinos, Espíritos e Pasteis de Nata) fez declarações à imprensa:
– Eles sempre nos esconderam tudo! O governo tem medo que as pessoas saibam que ELES existem porque em Júpiter NÃO SE PAGA IMPOSTOS! Abaixo o governo, GETs pró poder!
Por outro a associação VAMPGE (Vitimas de Atitudes Menos Próprias de Gambuzinos Excitados) exigiu que os dois GETs sejam levados a tribunal. Finalmente a Organização Mundial de Cépticos afirmou:
-Gambuzinos ExtraTerrestres?! Estão malucos ou quê? Então vocês não vêem que o Corsair caiu em cima de um alentejano que ia no seu burro vender as galinhas ao mercado e que os médicos depois coseram tudo junto?!

Autor: Autor Desconhecido

Categorias: Regiões e Raças

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.