Manhã…

Por Dejovu em

Ela vem se aproximando lentamente…
Também lentamente, a consciência começa a despertar,
cada pequeno som, uma ação.

As gotas da chuva caem sobre o telhado
Imaginando compor uma bossa nova, um samba canção.
Que nada!
É só a manhã fazendo sua higiene matinal.
Enquanto uma andorinha mimoseia os desassossegados raios do sol, indecisos entre ir ou ficar.

Minha respiração ainda frouxa
permanece num estado de semi-adormecimento.
Espreguiçamento…
A liberdade é total.

Ao sabor da vontade, o suspiro detona sinais de quotidiano.
E no primeiro abrir de olhos, a luz do dia confirma o que meu corpo já sabia…
A liberdade é total!

E nessa mesma liberdade o meu primeiro sorriso nasce.

O dia de hoje não tem horas.

E nesse tempo sem horas, com sabor das minhas vontades…
Vou despertando…
Sem pressa…
Sem pressão…

Em preces…

Ahhh! Se todos os acordares fossem assim…

Autor: Lanna Agda

Categorias: Crónicas e Textos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.