Ai de mim, que me abraso em fogo vivo, / Com mil mortes ao lado, / E,…

Por Dejovu em

Ai de mim, que me abraso em fogo vivo, / Com mil mortes ao lado, / E, quando morro mais, então mais vivo! / Porque assi me há ordenado
Meu infelice estado / Que, quando me convida
A morte, pera a morte tenha vida.

Autor: Camões

Categorias: Reflexivas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.