Crónicas e Textos

Saboreando literatura

Autor: Rafaela Debiasi Guesser

Essa crônica nada mais é que um apelo. Um grito pela literatura. Um grito por romances e aventuras. Não entendo essa gente. Essa gente que se diz sábia, que se diz intelectual ou sei lá o que. Essa gente que anda por aí com seus diplomas estampados na testa achando […]

Por Dejovu, Há
Desejos e Erotismo

O Espelho

Autor: Manoel Bandeira

Ardo em Desejo na tarde que arde! Oh, como é belo dentro de mim Teu corpo de ouro no fim da tarde: Teu corpo que arde dentro de mim Que ardo contigo no fim da tarde! Num espelho sobrenatural, No infinito (e esse espelho é o infinito?…) Vejo-te nua, como […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

Vou-me embora pra Passárgada

Autor: Manoel Bandeira

Vou-me embora pra Passárgada Lá sou amigo do rei Lá tenho a mulher que eu quero Na cama que escolherei Vou-me embora pra Passárgada Vou-me embora pra Passárgada Aqui eu não sou feliz Lá a existência é uma aventura De tal modo inconseqüente Que Joana a Louca de Espanha Rainha […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

Testamento

Autor: Manoel Bandeira

O que não tenho e desejo É que melhor me enriquece. Tive uns dinheiros – perdi-os… Tive amores – esqueci-os. Mas no maior desespero Rezei: ganhei essa prece. Vi terras da minha terra. Por outras terras andei. Mas o que ficou marcado No meu olhar fatigado, Foram terras que inventei. […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

Recife

Autor: Manoel Bandeira

Há quanto tempo que não te vejo! Não foi por querer, não pude. Nesse ponto a vida me foi madrasta, Recife. Mas não houve dia em não te sentisse dentro de mim: Nos ossos, nos olhos, nos ouvidos, no sangue, na carne, Recife. Não como és hoje, Mas como eras […]

Por Dejovu, Há
Desejos e Erotismo

Poemeto Erótico

Autor: Manoel Bandeira

Teu corpo claro e perfeito, – Teu corpo de maravilha, Quero possuí-lo no leito Estreito da redondilha… Teu corpo é tudo o que cheira… Rosa… flor de laranjeira… Teu corpo, branco e macio, É como um véu de noivado… Teu corpo é pomo doirado… Rosal queimado do estio, Desfalecido em […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

O bicho

Autor: Manoel Bandeira

Vi ontem um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa, Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem.

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

No vosso e em meu coração

Autor: Manoel Bandeira

Espanha no coração No coração de Neruda, No vosso e em meu coração. Espanha da liberdade, Não a Espanha da opressão. Espanha republicana: A Espanha de Franco, não! Velha Espanha de Pelaio, Do Cid, do Grã-Capitão! Espanha de honra e verdade, Não a Espanha da traição! Espanha de Dom Rodrigo, […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

Do que me dissestes

Autor: Manoel Bandeira

Do que me dissestes, alma fria, Já nada vos acode mais?… Éramos sós… Fora chovia… Quanta ternura em mim havia (Em vós também… Porque o negais?) Hoje contudo nem me olhais… Pobre de mim! Porque seria? Acaso arrependida estais Do que dissestes? É bem possível que o estejais… O amor […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

Assim a vida nos afeiçoa

Autor: Manoel Bandeira

Se fosse dor tudo na vida, Seria a morte o sumo bem. Libertadora apetecida, A alma dir-lhe-ia, ansiosa: – Vem! … E a vida vai tecendo laços, Quase impossíveis de romper: Tudo que amamos são pedaços vivos de nosso próprio ser A vida assim nos afeiçoa, Prende. Antes fosse toda […]

Por Dejovu, Há
Curtas

Arte de Amar

Autor: Manoel Bandeira

Se queres sentir a felicidade de amar, Esquece a tua alma. A alma é que estraga o amor. Só em Deus ela pode encontrar satisfação. Não noutra alma. Só em Deus – ou fora do mundo. As almas são incomunicáveis. Deixe o teu corpo entender-se com outro corpo, porque os […]

Por Dejovu, Há
Autores Famosos

Antologia

Autor: Manoel Bandeira

A vida não vale a pena e a dor de ser vivida. Os corpos se entendem mas as almas não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino. Vou-me embora pra Passárgada! Aqui não soi feliz. Quero esquecer tudo: – A dor de ser homem… Este anseio infinito […]

Por Dejovu, Há